DICAS E
IDEIAS




Crônica: É quase Natal

É quase Natal, época em que as ruas e lojas ficam cheias, o trânsito aumenta e as filas também. Algumas pessoas chegam até a perder a paciência com tanta aglomeração, mas se há alguém que com certeza não a perde, ao menos com tanta frequência, são os casais apaixonados.

Principalmente se este for o primeiro Natal juntos depois de casados, pode ser que haja um brilho especial àqueles que encontraram a calmaria do amor, pois para a vida a dois é preciso mais do que amor, é preciso compreensão, falar pelos dois, mesmo quando um só fala.

Talvez o trabalho force-os a estarem distantes um do outro na exata meia-noite do dia 25. Mesmo que o casal não seja tão ligado às datas comemorativas, não há preço que pague o apreço contido em um “Feliz Natal” de seu amado ou de sua amada.

Mas isso não é incomum nos dias de hoje. Quem é que pode escolher quando se trabalha e em que dia se trabalha? Passar a meia-noite longe, tudo bem... Mas quem em sã consciência suportaria passar o almoço de Natal distante? Imprevistos acontecem e talvez você tenha que cumprir uma escala apertada no trabalho.

O que vale é negociar, embora o amor não seja negócio, nem tampouco o casamento, ainda há infinidades de dias para se passar ao lado de quem se ama. Quem sabe você consiga correr e sair a tempo de encontrar a família, que agora se tornou maior depois do casamento. Mas se não for possível, faça valer os outros dias, ainda que não sejam Natal.

Veja só, já é quase Natal e como falar nesta data sem falar em presente? É certo que este ainda tem de ser especial, único, exclusivo, deve ter a personalidade e encher os olhos da pessoa amada? Talvez haja quem discorde disso.

E não é com o intuito de fazer pouco caso do presente, ele realmente deve ser bem pensado. Mas se há algo que realmente deve valer ao Natal dos casais apaixonados é a sensação de ter um ao outro. Ainda que não passem o dia inteiro juntos, ainda que não acertem completamente na escolha do presente, o que vale é a sensação de querer estar junto.

O que vale é ter o “Feliz Natal” apaixonado, nem que seja ao telefone na pausa do trabalho ou no dia seguinte, mesmo com uniforme do trabalho, o que realmente importa é manter o brilho apaixonado, sendo este o primeiro Natal juntos ou o vigésimo-quinto. Já é quase Natal e o que realmente importa é o amor.